Mutirão Ecológico retira lixo do leito do Rio Apeú

197

Dentro da programação em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, foi realizada, na manhã deste sábado, 8, uma ação coletiva envolvendo a Prefeitura de Castanhal, através da Secretaria de Meio Ambiente, a comunidade do Apeú, Tiro de Guerra do Exército, Emater, Polícia Militar, Secretaria de Agricultura que conseguiu retirar uma grande quantidade de lixo de dentro das águas do rio que empresta seu nome àquele centenário distrito de castanhalense.

“Preservar o meio ambiente é dar sustentação à vida, é deixar para as novas gerações um mundo melhor. Ainda mais se tratando do nosso rio Apeú, que foi de fundamental importância para o desenvolvimento do nordeste paraense, escoando a produção agrícola e as pessoas, mas que infelizmente não foi preservado. Sua recuperação será lenta, de longo prazo. E tem que ter a participação não apenas do poder público, mas de todos nós”, afirmou o prefeito Pedro Coelho Filho.

A coleta retirou das águas do rio todo tipo de lixo jogado pela falta de consciência das pessoas. Garrafas pet, latinhas, garrafas de vidros dentre outros objetos.

Esse trabalho está sendo feito com o respaldo de emenda impositiva do vereador João Amaro, no valor de R$ 72 mil. “Não podemos ficar alheios, de braços cruzados. O compromisso é de todos nós, que vivemos em Castanhal, no Apeú, que ainda vive e não deixaremos que ele morra. Parabéns ao prefeito e à secretária Lúcia Porpino por esse trabalho”, afirmou Amaro.

Enquanto isso, um projeto de restauração e recomposição da flora e fauna e o monitoramento da qualidade de água do rio Apeú, realizado pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), está em andamento por meio de recursos de emenda parlamentar do deputado federal Hélio Leite, de R$ 400 mil e mais R$ 100.200,00 de recursos próprios daquela universidade.

Segundo o professor e pesquisador Luiz Gonzaga, da Ufra, o objetivo do projeto é o de apoiar ações de diagnósticos ambientais, reabilitar as matas ciliares, repovoar a microbacia e fazer o monitoramento da qualidade da água que possibilitem a perenização do rio Apeú.
Fonte:ASCOM-PMC.
Fotos: Wanderley Souza –Ascom.