Prefeitura de Castanhal mantém as equipes do NASF, mesmo com cortes de recursos federais

440

Se adequar às mudanças impostas pela portaria 2.979, do Ministério da Saúde está sendo hoje o grande desafio enfrentado pelos profissionais que atuam na Atenção Primária em Saúde de Castanhal e de todos os municípios brasileiros.
Lançada em novembro do ano passado, essa portaria, chamada de Previne Brasil, extingue o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), que provocou uma ruptura administrativa e de trabalho, estabelecendo novas formas de financiamento dos serviços e custeio das equipes da Atenção Primária à Saúde.

“Através dessa portaria, se muda a forma de custeio, que era de R$ 160 mil e foi revogado, e que passa agora a ser vinculado à captação ponderada. Que é o cadastro da população e ao incentivo por desempenho e aos programas e ações estratégicas”, explica Camila Dantas coordenadora da Atenção Primária em Saúde de Castanhal.

Agora a Secretaria de Saúde vai reformular esse trabalho para se adaptar à nova realidade financeira imposta pela portaria, para manter as equipes do antigo NASF.

“Estamos vivendo um momento delicado em todo o País, com cortes de recursos e demandas aumentando. Principalmente na área da saúde, já que recebemos demandas de mais de 40 municípios da região”, afirmou o prefeito Pedro Coelho Filho, que estava presente, na manhã da última segunda-feira, à reunião entre profissionais da saúde, a secretária Carla Lima e o vereador Nivan Noronha, representando o Poder Legislativo de Castanhal.
Fonte: ASCOM-PMC.

Fotos: ASCOM-PMC.