Seminário discute Educação especial em Castanhal

2145

A Educação Especial ganhou grande destaque na Rede Municipal de Ensino ao longo dos últimos anos, tornando Castanhal em uma referência no Estado. Os números da Secretaria de Educação do município mostram o aumento na demanda dos alunos da Educação Especial, de 284 em 2010, saltando para 670 matrículas em 2017 e poderão chegar a cerca de 730 nas matrículas para 2018 na Rede Municipal.

Esses números foram apresentados pelo Secretário de Educação de Castanhal, Prof. Adriano Silva, durante o 1º Seminário Municipal de Educação Especial, realizado na última terça-feira (16), no auditório da Catedral Santa Maria Mãe de Deus.

O objetivo do seminário foi discutir o atual contexto educacional das escolas da Rede Municipal na perspectiva da Educação Especial Inclusiva.

O evento contou com a presença da representante da AMUNEP – Associação dos Municípios do Nordeste do Estado do Pará, Nádia Costa.

Uma Mesa Redonda reuniu representantes do Ministério Público do Pará, para falar a “Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência”. Participaram da Mesa Redonda, a Promotora de Justiça de Castanhal, Dr.ª Mariela Correa Hage, o Promotor de Justiça de Ananindeua, Dr. José Godofredo Pires dos Santos, a Promotora de Justiça de Benevides, Dr.ª Regiane Brito Coelho Ozanan e a Prof.ª Flávia Marçal, Diretora Adjunta do Núcleo Acessar – Núcleo Amazônico de Inclusão, Acessibilidade e Tecnologia, da UFRA Belém. A Prof.ª Magna Abrantes, Conselheira Municipal de Educação foi a mediadora do debate.

A Assessora Responsável pela Educação Especial da SEMED, Rafaella Pinheiro, falou durante sua palestra sobre as “Diretrizes para a Educação Especial no município de Castanhal”, e um dos pontos mais importantes abordados pela educadora foi o trabalho do Profissional de Apoio Escolar, que deverá ter dois níveis diferenciados: o Cuidador e o Mediador.

O Profissional Cuidador deverá ter formação de nível médio com o curso de Apoio Escolar de 80h, que já está sendo realizado pela SEMED, e formação continuada ao longo do ano. O Mediador será um profissional licenciado e, também, que tenha o curso de Apoio Escolar.

A instituição do trabalho do Profissional de Apoio Escolar ainda é um tema que gera muitas discussões, mas segundo Rafaella Pinheiro, o seminário teve como um dos seus principais objetivos esclarecer as dúvidas da comunidade sobre estas importantes mudanças.

“São mudanças que estão sendo feitas com transparência, e que só virão agregar mais valor à Educação Especial Inclusiva”, afirmou Rafaella Pinheiro.

O Secretário de Educação, Prof. Adriano Silva falou sobre a importância do seminário como uma estratégia do Governo Municipal de tornar transparente as medidas de mudança que estão sendo implementadas.

“Nós consideramos essas mudanças um avanço na Educação Especial. E todas as crianças e jovens matriculados na Rede Municipal, que tenham alguma deficiência serão devidamente atendidos”, disse o secretário.
Por Eliene Souza – Ascom Castanhal
Fotos: Wanderley Souza –Ascom.