Palestra aborda o suicídio um tema importante para todos

1898

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em 2012, foram registrados quase 12 mil suicídios no Brasil, uma média de 30 ocorrências por dia. No mesmo ano, foram 804 mil casos em todo o planeta. Ou seja, a cada 40 segundo se cometeu um suicídio na Terra. A tendência é a de que, até 2020, ocorra um aumento trágico de 50% de casos dessa guerra silenciosa, na qual milhares de pessoas especializadas tentam evitar que essa previsão não se torne realidade.
Esse foram alguns números apresentados, na manhã desta quarta-feira, 6, no auditório do Sesc de Castanhal, durante Roda de Conversa programada pela Coordenadoria de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde de Castanhal. Dezenas de pessoas, a maioria mulheres, acompanharam com atenção, e participação, a palestra feita pela psicóloga Juliana Lima, cujo tema foi “Dialogando sobre suicídio. Precisamos falar sobre isso”, e faz parte da programação Setembro Amarelo, mês internacional de prevenção ao suicídio.

Desespero, desamparo, desesperança foram palavras que podem ser resumidas, ou transformadas, na palavra Escutar, durante o ato de atender as pessoas com tendências a cometer um suicídio. Foi um papo franco, aberto envolvendo essas pessoas desconhecidas pela maioria dos que residem em Castanhal, mas que têm uma importância fundamental para ajudar as que sofrem com esses problemas. Elas e suas famílias.
“A idéia é realmente capacitar toda a rede de serviço, para que se possa acolher melhor esses usuários com seus sofrimentos. Entendemos que a acolhida, a escuta, a atenção é o melhor caminho. Essa é a primeira ação dessa roda de conversa com os profissionais, para que essa temática seja levada para as unidades de saúde, os Centros de Referência de Assistência Social (Caps) e de Referência Especializada em Saúde (Cres)”, explicou Cleyce Costa coordenadora de Saúde Mental.
Ele disse que, “através de nossas equipes de saúde, esses momentos também irão ocorrer em vários bairros da cidade. Vamos nos reunir para traçar o planejamento para realizar essas rodas de conversa”, finalizou Cleyce Costa.
Fonte:Ascom – PMC